SALVADOR: imóveis fechados são abertos no combate à dengue

Publicado em: 25/7/2019

Para o enfrentamento da dengue, zika vírus e chikungunya em Salvador, além das atividades diárias deflagradas em toda cidade, a Prefeitura realizou nesta quarta-feira (24), a ação de abertura de imóveis fechados e/ou abandonados para detecção de possíveis criadouros e focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor das doenças. O ponto de partida será na Rua São Paulo, na Pituba, próximo ao Hapvida.

A atividade contou com o auxílio de um chaveiro e da Guarda Municipal que ajudarão os agentes de combate às endemias na entrada das propriedades.

“Fizemos um cronograma de visitas baseado em denúncias recebidas pelo Centro de Controle de Zoonoses e nos relatórios das equipes de campo que identificam locais onde recorrentemente não conseguem acessar. Nosso intuito é identificar e eliminar possíveis criadouros do mosquito alojados nesses imóveis”, explicou Isolina Miguez, coordenadora do Programa de Controle da Arboviroses.

O último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) realizado em abril, revelou que os depósitos preferenciais do mosquito identificados na capital baiana estão dentro dos domicílios como vasos e pratos de plantas, bebedouros de animais e caixa d’água.

O estudo apontou ainda que Salvador está em estado de alerta para ocorrência de uma epidemia das arboviroses e o poder público convoca a população para contribuir na redução desse índice.

Varredura

Aliado à abertura de imóveis fechados na cidade, o CCZ também tem intensificado as ações de varredura em bairros prioritários com o objetivo de eliminar um grande número de focos e criadouros do Aedes aegypti num curto espaço de tempo em localidades com maior incidência de casos de dengue, zika víris e chikungunya em Salvador.

Somente na semana passada, seis localidades foram beneficiadas com a estratégia: Boca do Rio, Liberdade, Federação, Pau da Lima e Ilha de Bom Jesus dos Passos. Durante as ações, aproximadamente de 15 mil imóveis foram visitados, cerca de 476 focos foram identificados e eliminados, além de mais de 4,4 toneladas de lixo e materiais inservíveis recolhidos com o apoio da Limpurb.

Fonte: SMS Salvador

  • Compartilhe: