MUNICÍPIOS

BARREIRAS: Delegacia de Atendimento à Mulher ganha nova estrutura

Publicado em: 18/9/2022

Vítimas e agressores são atendidos em ambientes separados

A unidade Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) do município de Barreiras passou a funcionar, nesta quinta-feira (15), em nova estrutura com espaços para atendimento às vítimas e agressores separadamente, além de acolhimento dos filhos da mulher.

A unidade, instalada na rua Ibiraquera, bairro Renato Gonçalves, conta com duas entradas e salas de recepção separadas para receber as mulheres em ambiente dissociado dos acusados, a fim de reduzir riscos de intimidação.

O secretário da Segurança Pública, Ricardo Mandarino, elogiou todos os detalhes pensados para oferecer maior conforto e sensação de segurança às vítimas. “Elas têm entrada separada dos agressores, isso demonstra a preocupação da Polícia Civil com essas mulheres, que já chegam muito feridas e fragilizadas pelos relacionamentos abusivos que acabam envolvidas”, frisou o gestor.

A unidade conta ainda com espaço com uma brinquedoteca bem equipada para os pequenos, sala da delegada titular, cartório, sala de investigação,  sala de escuta especializada e sala de atendimento.

Para a delegada-geral da Polícia Civil, Heloísa Brito, o acolhimento é o principal conceito empregado nas DEAMs. “A humanização está presente de forma mais marcante  nas novas estruturas da Polícia Civil, a exemplo da Deam de Barreiras, que exprime cuidado e carinho em cada detalhe. Fico grata a gestão municipal e todos que colaboraram para esta importante realização. Com este exemplo, reforçamos a mensagem de que a defesa das mulheres é uma luta de toda a sociedade”, comentou.

A Deam funciona em um imóvel cedido pela Prefeitura Municipal, localizado nas proximidades de sedes de outros órgãos que compõem a rede de proteção à mulher.

Durante a inauguração estiveram presentes representantes da Operação Ronda Maria da Penha da Polícia Militar, integrantes do Ministério Público, representantes do Sistema Judiciário, autoridades municipais e entidades cuja atividade também combate a violência de gênero.

 

 

Fonte: SSP-BA


  • Compartilhe: