COQUISTA: polícia apreende ‘supermaconha’ durante abordagem a ônibus

Publicado em: 23/7/2020

Em menos de 48 horas, PRF na Bahia realizava segunda apreensão de skunk uma espécie de “super-maconha”, originada do cruzamento entre diversas espécies da planta. A palavra, que em inglês significa gambá, dá nome a droga devido ao seu odor forte.

Um passageiro de ônibus transportando skunk dentro de bagagem foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na tarde de hoje (21). O flagrante aconteceu em Vitória da Conquista, Região Sudoeste da Bahia.

Policiais rodoviários federais faziam fiscalização de combate a criminalidade no km 830 da BR 116, quando abordaram um ônibus de turismo que seguia de São Paulo (SP) com destino a Natal (RN).

Ao dar andamento na fiscalização, a equipe da PRF sentiu no compartimento de bagagem externo um forte odor, característico de maconha. Em razão disto, empreendeu buscas para encontrar o local de origem do cheiro, momento em que localizou uma mala, a qual possuía em seu interior um total de 11 tabletes de skunk, que após pesagem totalizou 27, 448 kg (vinte e sete quilos e quatrocentos e quarenta e oito gramas).

O responsável pela droga foi identificado e localizado através do tíquete de bagagem. Ele informou para os policiais que ganharia 4.000 reais para fazer o transporte da droga que saiu de Florianópolis (SC) com destino a Natal (RN).

Dada às circunstâncias, o motorista e a passageira foram presos em flagrante e encaminhados para a Delegacia de Polícia Judiciária, pelo crime previsto no art. 33 da Lei 11.343/2006 que tem pena prevista de 5 a 15 anos de prisão.

O skunk é uma droga produzida em laboratório feita através de vários cruzamentos de tipos de maconha, chegando a ser considerada como uma “super maconha”. Por ser feita a partir da própria maconha, essa droga possui os mesmos efeitos, porém potencializados: palidez, excitação, risos, depressão ou sonolência, aumento de apetite por doces, olhos avermelhados, dilatação das pupilas e alucinações.


  • Compartilhe: