DESTAQUES

UPB promove reunião que discute a força da mulher na política

Publicado em: 16/7/2022

53 municípios baianos são governados por prefeitas

Gestoras que são exemplos da representatividade e força da mulher na política participaram nesta quarta-feira (13) da Reunião de Prefeitas e Vice-Prefeitas da Bahia. O evento, que fará parte do calendário anual da União dos Municípios da Bahia (UPB), aconteceu na sede da entidade em Salvador, e contou com a presença de mais de 100 mulheres. As gestoras foram unânimes em classificar a iniciativa da UPB como um fato marcante na entidade, que se compromete a contribuir com a luta pela igualdade de gênero e pela ampliação da presença das mulheres na política. Dos 417 municípios baianos, 25% das gestões têm presença feminina, sendo 53 prefeitas e 59 vice-prefeitas.

O presidente da UPB, Zé Cocá, reforçou por meio de mensagem em vídeo que política é lugar de mulher e que é papel da instituição estimular e apoiar as gestões administradas por elas. “Esse encontro marca a força da mulher na política. É extremamente importante a união de vocês para que a gente debata política pública com representatividade”, ressaltou.

Em seu quinto mandato eletivo, a prefeita de Mucugê, Ana Medrado, ressaltou que as mulheres precisam ocupar mais cargos públicos, para assim promover mudanças na sociedade. Ao apresentar junto com o SENAC Bahia o painel “Fomento ao Empreendedorismo Feminino e seus Benefícios para os Municípios”, Ana Medrado falou da experiência de Mucugê e estimulou as colegas a criar políticas públicas de capacitação de mão de obra e estímulo ao turismo para fortalecer os negócios comandados por mulheres. “Esse encontro é muito importante para que tenhamos o nosso momento de troca, para analisarmos e conversarmos sobre nossas dificuldades e também dividir boas experiências aplicadas nos municípios, sabendo que podemos contar umas com outras”, pontuou.

As prefeitas de Cachoeira, Eliana Gonzaga, e a de Nilo Peçanha, Jaqueline Soares, compartilharam da ideia de que é uma luta diária e permanente ser mulher e ocupar espaços de poder. “O mais difícil não é vencer uma eleição, o difícil é se manter no cargo em uma sociedade machista que tenta o tempo inteiro nos desqualificar”, pontuou a prefeita de Cachoeira, primeira mulher e negra eleita para o cargo.  “Precisamos mudar essa realidade e eu acredito que nós juntas continuaremos buscando realmente o nosso papel na sociedade. As mulheres precisam protagonizar suas vidas”, afirmou Jaqueline. A prefeita de Nilo Peçanha, que também é enfermeira, usou sua fala para repudiar o caso recente envolvendo um anestesista que estuprava mulheres na sala de cirurgia durante o parto. “É inaceitável que a mulher seja violada até em um momento tão sublime de dar a luz a uma vida”.

 

Fonte: UPB


  • Compartilhe: