Embarcação que naufragou em Madre de Deus não podia transportar passageiros

Publicado em: 22/1/2024

A embarcação que naufragou, deixando seis pessoas mortas e ao menos três desaparecidas durante uma travessia entre a Ilha de Maria Guarda e Madre de Deus, no interior da Baía de Todos-os-Santos, fazia o transporte irregular de passageiros, de acordo com a Marinha do Brasil.

A embarcação, denominada “Gostosão FF”, estava inscrita na Capitania dos Portos da Bahia (CPBA) na classe “saveiro”, para “emprego exclusivamente na atividade de esporte e recreio”. A Marinha diz também que apura se o veículo aquático estava com sua capacidade máxima de lotação, que é de, no máximo, 10 passageiros mais um tripulante.

“A CPBA instaurou um Inquérito sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN) para apurar as causas e circunstâncias do acidente. Concluído o procedimento e cumpridas as formalidades legais, os documentos serão encaminhados ao Tribunal Marítimo”, diz trecho de um comunicado enviado pela Marinha.


  • Compartilhe: